DUBIBRÁS

Calopsitas (Nymphicus hollandicus)

Calopsitas (Nymphicus hollandicus)

Características:
Natural da Austrália as calopsitas se adaptaram fácil ao clima do Brasil, são dóceis, inteligentes, sendo fácil o seu adestramento, aprendem facilmente, pouco exigentes no aspecto de criação, não são barulhentas como seus parentes próximos (periquitos, agapórnes). A vinda para o continente americano ocorreu na década de 40, especificamente para a costa oeste dos Estados Unidos e para o Brasil na década de 70.

Seu tamanho pode chegar até 30 centímetros de altura, pertencem à família das Cacatuas, aves também de origem Australiana. Fazem parte de um grande grupo de aves, a ordem dos Psitacídeos, onde se encontram os periquitos, araras, papagaios entre outras, que possuem um bico característico a espécie. Adequadamente alimentadas e cuidadas podem chegar aos 20 anos de idade.

Manejo:
Devido ao seu temperamento dócil seu manejo não requer muitos cuidados, recomenda-se sempre manter um contato próximo com as pessoas da casa, a fim de fazer um contínuo trabalho de socialização, não são aves de hábitos solitários, o contato com os outros animais da mesma espécie e com os seres humanos torna a Calopsita fascinante. São aves que sofrem influência direta do meio em que vive, então, recomenda-se evitar stress desnecessário.

A principal exigência no manejo é com aspecto da higiene, a fim de evitar doenças. Manter sempre o viveiro, o bebedouro, a banheira e os comedouros limpos, com água preferência filtrada e alimentação abundante e de boa qualidade.


Alimentação:
No Brasil, erroneamente as pessoas associam o girassol como fonte principal de alimentação para os psitacídeos. O girassol tem alto teor calórico e de gordura, por ter uma palatabilidade alta é muito apreciado pelas aves, porém, como estão em cativeiro e não se exercitam adequadamente, toda essa gordura fica acumulada no fígado diminuindo muito a longevidade das aves, cerca de 40%. Há em nossas lojas rações balanceadas de diversas marcas e específicas para calopsitas.

Uma alimentação adequada consiste em ração balanceada e pode-se ainda suplementar com espigas de milho verde, talos de couve, cenoura (rica em vitamina E, favorece a plumagem) e esporadicamente osso de ciba, que fortalece o bico, estimula a ave e serve como fonte de cálcio.

Reprodução:
A fase de acasalamento ocorre a partir dos dez meses de idade. Após a fecundação, as aves levam cerca de dez dias para realizar a postura. As fêmeas botam dia sim, dia não, de três a seis ovos por postura, que chega a ocorrer quatro vezes por ano. Entre 13 e 15 dias, os ovos eclodem. A postura deve ser feita em ninheiras especiais para a espécie, colocando em seu interior folhas secas e palha. E sempre evitar a manipulação dos ovos, pois as fêmeas poderão rejeitar os mesmos.

Na época de reprodução, recomenda-se suplementar a alimentação com farinhadas especificas para este fim. Há também casos em que a fêmea não alimenta adequadamente os filhotes então, se faz necessário o uso de papinhas especificas para filhotes de calopsitas.

Doenças:
As calopsitas são aves bem resistentes a doenças, as mais comuns são de origem respiratórias, deve-se evitar correntes de vento, pois causam coriza nas aves, podendo evoluir para uma pneumonia, ar condicionado e choques térmicos também devem ser evitados ao máximo. Como prevenção, deve-se vermifugar uma vez ao ano e sempre manter o viveiro limpo para evitar doenças principalmente a Clamidiose que pode passar para os seres humanos.

Cuidados especiais:
O primeiro cuidado com a Calopsita deve ser no ato da compra, observe o estado de higiene do viveiro, o temperamento das aves e de preferência a um local de nome e refêrencia. Sempre quando acrescentar qualquer medicamento no bebedouro das aves, durante o tratamento deve-se retirar a banheira, para que as aves sejam “obrigadas” a beber a água com o medicamento. Procurar um Medico Veterinário para cortar as asas das aves que vivem em viveiros abertos ou que vão à rua a fim de evitar acidentes, mesmo com as asas cortadas devemos lembrar que elas são imprevisível então, cuidado ao colocar o viveiro aberto próximo a janelas, principalmente em apartamentos. E sempre dar muito carinho porque elas sabem como retribuir.

BIODIGESTOR

BIODIGESTOR

R$ VENHA NOS VISIT

Todas Novidades

PULVERIZADOR COSTAL MOVIDO A BATERIA

PULVERIZADOR COSTAL MOVIDO A BATERIA

Todas Promoções

Av. Pres. Vargas, 523 - CEP: 17700-000 - Osvaldo Cruz/SP

Fone:(18) 3528 - 1165 - Fax: (18) 3528 - 6041 | dubibras@dubibras.com.br